segunda-feira, maio 31, 2010

Lembranças

Caixa de correio de uma casa velha na Estrada de Telheiras
A verdade é que não sei
de certos rostos que outrora amei
por uns dias, uns meses, talvez anos,
e nunca mais encontrei.
Porém, sobre os desenganos
da vida, resta o rasto
da sua curta ou longa passagem.
São lembranças que não afasto,
mas sigo viagem.

6 Comments:

Blogger Obtuso said...

Que remédio... se não seguir viagem.
Gostei. Um abraço.

5:04 da tarde  
Blogger gabriela r martins said...

devagarinho ,para não deixar o lugar arrefecer......




.
um beijo
( com uma pincelada no amanhã )

6:06 da tarde  
Blogger jrd said...

Porque a memória faz parte de nós e acompanha-nos o percurso.
Abraço

7:05 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço e valha-nos o remédio, caro Tibério!

Isso mesmo, querida Gabriela! Beijinho também.

E não podemos deixar de ser memória, caro João! Abraço retribuído.

8:42 da tarde  
Blogger adelaide said...

Lindo, como todos, como sempre...

1:54 da manhã  
Blogger Magnolia said...

Adorei...
Bj

6:07 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home