quarta-feira, junho 02, 2010

Mais que fazer

Na Rua de São Bento

Há gente que nasceu zangada com o mundo
e não consegue disfarçar
o azedume, a azia, que no fundo
sente por ter de enfrentar
seja quem for que considere alheio
ao seu círculo acanhado e feio.
E jamais lhe falta motivo
para tentar infernizar
tudo o que à volta saiba vivo
e de cabeça no lugar.
Por mim, procuro sair ileso
do encontro com tal gente
e dedico-lhe um desprezo
suave mas impenitente.
E vou à vida porque, é bom de ver,
tenho mais que fazer.

12 Comments:

Blogger jrd said...

Tens razão Poeta, cada vez mais, importa ser 'selectivo' com os percursos que escolhemos.
Abraço

4:32 da tarde  
Blogger _Sentido!... said...

Ah Poeta, estou consigo, sabe?!

4:53 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também acho, caro João. Outro abraço.

Obrigado, cara _Sentido!...

5:35 da tarde  
Blogger Obtuso said...

...Nem mais! Amigo.

8:28 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

...Nem menos, meu Amigo.

9:16 da tarde  
Blogger Manifesto Surrealista said...

Caro Poeta,
Não podia estar mais de acordo com o que escreve. A vida é demasiado bela para perdermos tempo com círculos acanhados e feios. Que bem que descreve alguns circunstancialismos da vida. Por isso passo sempre por aqui, um lugar acolhedor e respeitador do qual dá gosto ser leitor. Parabéns pelo novo livro. Um abraço, Cristina

9:41 da manhã  
Blogger Laura Lara said...

"E vou à vida porque, é bom de ver,
tenho mais que fazer."
Se todos assim fizessem, como o mundo seria melhor!
Um abraço, Torquato

3:24 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, Cristina! Um abraço também.

Com certeza, querida Laura! Um beijinho e bom fim-de-semana.

4:02 da tarde  
Blogger Rosa dos Ventos said...

Um poema cheio de humor muito bem apoiado pela imagem!

Abraço

6:12 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Abraço também, Rosa!

7:27 da tarde  
Blogger addiragram said...

E faz muito bem!!! O tempo que temos é tão pouco...

Um abraço

12:48 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Tempus fugit, cara Margarida.
Retribuo o abraço.

8:48 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home