segunda-feira, abril 02, 2007

Busca













Ascensor da Bica
M. Nagashima, 2007
(Colecção TL)
Viver é buscar o não-vivido,
ninguém volta ao que já viveu.
Por mim, persigo os anos em que estive
ausente de mim mesmo, aqueles anos
movidos a óleos pesados,
em que tudo tinha um ar
vizinho do cansaço,
tal uma sombra abandonada.

15 Comments:

Blogger António Baeta said...

A incessante busca de ti próprio.
Também me busquei a propósito do ascensor da Bica, ao fundo da minha rua, a do Século, pelos meus vinte e poucos anos.
Abraço.

1:38 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

É tudo aqui perto, na zona de Lisboa de que mais gosto (e onde moro, é claro).
Outro abraço e obrigado, Toy.

4:04 da tarde  
Blogger Fatyly said...

A busca incessante do que fomos, dos locais que pisámos...parabéns poeta!

Um abraço

5:17 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Sempre atenta, Fatyly. Um bj.

8:29 da tarde  
Blogger RAA said...

Este é dos que não pode faltar no próximo livro. Um abraço.

11:22 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Tomei nota, caro Ricardo. Obrigado e outro abraço.

9:33 da manhã  
Blogger LB said...

Buscámos, buscamos...

Votos de boa Páscoa.

Um abraço amigo

11:17 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Boa Páscoa também e outro abraço, caro Luís.

5:17 da tarde  
Blogger peciscas said...

Mais uma excelente reflexão sobre a vida.
Um poeta está sempre em diálogo consigo próprio. Sobre o seu passado, presente e futuro.
Sempre inquieto.
Será assim?

11:34 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

É isso, caro Peciscas. Um forte abraço.

9:09 da manhã  
Blogger Rosa dos Ventos said...

Não sossegas, nem deixas sossegar!
É esse o teu fado!
Lindo desenho...

10:42 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Dizes bem, Rosa.

12:03 da tarde  
Blogger RPM said...

um feliz dia e uma santa Páscoa.

abraço amigo!

RPM

5:44 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também para si, Rui Pedro. Outro abraço.

7:50 da tarde  
Blogger AEF said...

bELÍSSIMO.

10:30 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home