segunda-feira, abril 16, 2007

Mil vezes







Acrílico sobre tela (pormenor)
Torquato da Luz, 2007

Mil vezes te achei e mil vezes te perdi
para te achar de novo.
De cada vez que nos deixamos
sempre à minha dor sobrevém
a busca incessante de quem tome o teu lugar.
E no entanto és sempre tu que voltas
sob novo disfarce
e me embebedas do riso desse olhar
como não há outro no mundo.

10 Comments:

Blogger marta said...

Tão diferentes e tão iguais?


Lindo o pormenor. Mostrará o todo?

Beijinho

4:12 da tarde  
Blogger Susana Barbosa said...

Torquato, sempre tão simples e tão surpreendente ao mesmo tempo!
Na impossibilidade de ter podido comparecer ao lançamento do seu livro :((, venho solicitar-lhe que me informe onde o posso adquirir. Livraria, editora?...
Agradeço desde já a sua atenção,
um beijinho

5:16 da tarde  
Blogger peciscas said...

O Amor é quase sempre feito de encontros, desencontros e reeencontros.
Desconhecia a faceta de pintor do Torquato.Muito bem!

5:30 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Cara Marta:
Quem sabe?
Outro beijinho.

Cara Susana:
A editora é a Papiro (Porto). Pode solicitá-lo em qualquer livraria, claro.
Um beijinho também.

Caro "Peciscas":
Espero que já esteja tudo bem consigo.
Um abraço.

5:37 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

Lindo o poema! Linda a pintura!
Mil parabéns.
Beijinhos

5:21 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Sempre generosa, Laura.
Mil beijinhos também.

7:13 da tarde  
Blogger LB said...

Belíssimo poema... sem mais!

Abraço

10:26 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, caro Luís.

9:05 da manhã  
Blogger RPM said...

1000 x parabéns!

um abraço de amizade TL

RPM

10:25 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, caro Rui Pedro, e um abraço.

9:51 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home