terça-feira, janeiro 04, 2005

Canto

Fala a fala finíssima das folhas
e nos jardins suspensos dos seus olhos
aves doidas de sol cantam o canto
perfumado dos pátios e dos poços.

("Lucro Lírico", 1973)

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Em quatro versos, todo um poema de amor.
P. Sofia

6:20 da tarde  
Blogger mariagomes said...

excelente!

6:28 da tarde  
Blogger maat said...

destaco, se me é permitido, estes dois compassos de música:
"Fala a fala finíssima das folhas" ... "o canto perfumado dos pátios e dos poços".

meu afecto,

voltarei sempre.

7:36 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado pelas vossas palavras!

8:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home