segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Cioso mar











Acrílico sobre tela
Torquato da Luz, 2003

Nem todos os barcos voltam à praia,
há sempre um ou outro que o mar envolve
na sua teia de algas e corais.
Sei de alguns que, uma vez partidos
com seus audazes marinheiros,
jamais regressaram.
Embora os jornais falem de naufrágios,
a verdade é que, cioso, o mar os guarda
para, intactos, um dia os devolver
às praias por haver.

11 Comments:

Blogger António Baeta said...

O MAR, sempre tão presente no teu imaginário,
Belo!

12:56 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Nem poderia deixar de estar, Toy...

2:04 da tarde  
Blogger LB said...

O Mar...
Julgo termos, em comum, essa necessidade...

Um abraço

4:37 da tarde  
Blogger Susana Barbosa said...

O Mar... com ele o nosso fado... sem ele, nada seríamos nós!

Um beijinho, Torquato

5:53 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Óptimo, Luís. Outro abraço.

Um beijinho também, Susana.

6:39 da tarde  
Blogger marta said...

O quadro uma beleza com esse mar tão azul
e só esse tão azul os pode guardar, quando cizento zangado engole-os de raiva.
Beijinho

6:47 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Marta:
Pretendi, também com o quadro, dar largas a uma paixão que carrego desde a infância: o mar.
Outro beijinho.

8:27 da tarde  
Blogger marta said...

No sítio onde vivo, não o vejo, mas ouço-o a rugir nos dias e noites de tempestade. E eu que tanto gostava passei a temer e a preferir o rio.
beijinho

10:22 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Na maior parte dos dias, também me limito a olhar o Tejo, excelente sucedâneo...
Mais um beijinho.

9:28 da manhã  
Blogger espumante said...

Já me tinha apercebido da sua paixão pelo mar... join the team :))
Um abraço

9:33 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço (marítimo...), caro Espumante.

1:45 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home