terça-feira, julho 14, 2009

Esperança

Acrílico sobre tela / TL, 2009

Prossegue a luta e espera. Há-de chegar
o dia mais que todos o primeiro
em que já não serás um prisioneiro
do tempo que te coube e do lugar
onde não tens licença de voar.
O dia em que estarás por fim liberto
da malha estreita em que te enredaram
a intriga mais cediça e o preconceito.
O dia em que a secura do deserto
para onde mil enganos te empurraram
cederá ao que é teu pleno direito:
um vasto campo de respiração
como te pede o livre coração.

6 Comments:

Blogger nocas verde said...

permita-me considerar escrito para mim este belíssimo conjunto de palavras.
Não direi nada de novo nem que não tivesse já lido - obrigada por colocar em palavras aquilo que nós, mero mortais, sentimos por vezes sem conseguir nominar.
Obrigada

9:57 da manhã  
Blogger CPrice (once) said...

.. e trouxemos uma dose acrescida de inspiração de férias? :)) .. como se fosse necessária!

Brilhante. Parabéns *

10:52 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado e bjs, caras Nocas Verde e Catarina.

2:00 da tarde  
Blogger jrd said...

Por pouco não te apanhava a tempo, Poeta da Esperança.
Abraço

2:41 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Chegas sempre a tempo, caro JRD.
Outro abraço.

5:25 da tarde  
Blogger mdsol said...

:)

7:11 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home