quinta-feira, setembro 09, 2010

Sobre a poesia

Calçada da Pampulha

Deixa a poesia acontecer.
Não a programes nem insistas
em fixar-lhe o momento de aparecer.
A poesia só chega quando quer
e não costuma dar nas vistas.
O seu gozo é não ter dia nem hora
e por vezes demora
mais do que a gente conta.
Aliás, tanto lhe monta
que a esperes ou esqueças.
Ela virá quando vier
sem anúncios nem promessas
e para a receber
não te resta outro fado
que não seja estar sempre preparado.

10 Comments:

Blogger RAA said...

Sábio conselho, Torquato.

11:19 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Origado, Ricardo! Um abraço.

2:24 da tarde  
Blogger addiragram said...

Apetece-me sorrir.
Um abraço.

2:35 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Ainda bem, Margarida!
Outro abraço.

4:50 da tarde  
Blogger mdsol said...

É isso!
E, dito assim, ainda parece mais!

:)))

10:17 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

:)))

9:59 da manhã  
Blogger jrd said...

Espontânea, um golpe de asa.
Abraço

1:50 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Abraço também e bom fim-de-semana, João!

2:12 da tarde  
Blogger José Carlos Vilhena Mesquita said...

Amigo Torquato
Adorei ler este poema. Há muito que não apreciava a sua poesia, que é inquestionavelmente de elevada qualidade lírica, emocional e filosófica. Neste breve poema se descreve todo o sortilégio da poesia, da sua essência psicológica e da sua importância para as depressões da alma, precisamente aquelas que não se conseguem combater pela química da psiquiatria, mas conseguem-se superar na alquimia da psyché.
Fiquei sinceramente agradado com este poema, mas também com o soneto, que é um género lírico pouco comum na sua poesia, mas muito do meu agrado.
Um abraço de felicitações do Vilhena Mesquita
PS. Estou a recuperar bem, parece-me que o espectro das parcas já me largou a porta.

1:03 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Caro Prof. Vilhena Mesquita:

Grato pela amizade das suas palavras, desejo-lhe rápida e completa recuperação.
Um abraço.

9:40 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home