segunda-feira, março 14, 2011

Clamor

Rossio

Se fosse apenas um murmúrio, a agitação
de asas de breves pássaros inquietos,
ou se entendesse que não
passava de uma onda de contornos certos
e sem problemas para a navegação,
a quem perturbaria este clamor?
Mas não. É uma explosão de almas aflitas
em ânsias de futuro e de calor
contra o marasmo, o atraso e as infinitas
doses de angústia e solidão
de um tempo de mentira e servidão.

6 Comments:

Blogger mdsol said...

:))))

7:24 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

:)))) também, cara Maria do Sol!

8:16 da tarde  
Blogger jrd said...

Está tudo aqui Poeta. Tudo!!
Abraço

9:44 da tarde  
Blogger gabriela r martins said...

é necessário recomeçar!



.
um beijo

11:17 da tarde  
Blogger Mel de Carvalho said...

impõe-se que seja, caríssimo Torquato,
tão mais que um clamor insípido
que seja rio em chamas
e alvoradas de pão sobre campos de trigo.

impõe-se a vaga assertiva e clara de um povo que deu novos mundos ao mundo...

impõe-se rigor da fala, como bela a sua poesia.

bem-haja
(hoje, ao correr da pena, perdoe a ousadia...)

Mel

8:53 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, amigo João!

Exactamente: recomeçar, querida Gabriela! Um beijo também.

Gostei muito da ousadia, cara Mel!

9:32 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home