segunda-feira, setembro 12, 2011

Recomeçar

Estação do Sul e Sueste
Vontade de partir, de largar tudo,
de acordar amanhã num hotel em Veneza,
de esquecer o passado, o futuro, o mundo
e baralhar as cartas expostas na mesa.

Vontade de zarpar, de abandonar
as mínimas coisas algum dia amadas
e procurar no mapa das estradas
o que teima em faltar.

Vontade de abalar sem um aceno
sequer de despedida
e de um modo expedito mas sereno
recomeçar a vida.

7 Comments:

Blogger jrd said...

Nunca é tarde Poeta.

Abraço

7:03 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço também, caro João!

8:08 da tarde  
Blogger AMCD said...

Já Cervantes dizia que era melhor a estrada que a estalagem. Quantas vezes apetece partir, mas a vida obriga-nos a ficar. Estamos presos por deveres e obrigações. “Ai que prazer não cumprir um dever”, não é verdade. A estrada é sempre uma aventura. A aventura do imprevisível. Por isso Quixote partia. Fazia-se à estrada.

Saudações Torquato, aqui, do solarengo Sul.

4:57 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Retribuo as saudações com muito gosto, caro AMCD!

5:51 da tarde  
Blogger David J. Pereira said...

Boas!

Devo dizer que gosto imenso deste blogue!

Podem adicionar os meus aos vossos links? Eu prometo que retribuo :p

http://davidjosepereira.blogspot.com/

Saudosos cumprimentos!

3:05 da tarde  
Blogger Lili said...

Perfeito define; expressa, esse meu sentimento contínuo de querer ir, de forma que eu jamais conseguiria colocar em palavras... Belíssimo.

9:32 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um beijinho, cara Lili!

9:25 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home