quinta-feira, abril 26, 2007

Como se fosse possível









Acrílico sobre tela
Torquato da Luz, 2003

Como se fosse possível
ignorar a paisagem do seu rosto
à luz intensa da manhã.
Como se houvesse imagem
que iguale a do seu corpo
recortado contra o mar.
Como se outro perfume
pairasse para além
do que derrama o seu cabelo.
Como se a sua voz
não fosse apenas música
e a sua boca o porto
único da minha boca.
Como se fosse possível
algum dia esquecer.

12 Comments:

Blogger LB said...

Lindíssimo! Não tenho palavras...

Um abraço

7:23 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, caro Luís.

9:39 da manhã  
Blogger Fatyly said...

É tão bom vir aqui e sentir-se paz...amor e paz. A tela é lindissima.

Parabéns!

Beijos

9:50 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado e beijos também, cara Fatyly.

1:04 da tarde  
Blogger RAA said...

Gostei muito. Um abraço.

10:34 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço para si também, meu caro Ricardo.

9:45 da manhã  
Blogger marta said...

Ficar a olhar o quadro e a encher-me da poesia
era assim que gostava de ficar.

beijinho

10:55 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro beijinho, cara Marta.

1:20 da tarde  
Blogger António Baeta said...

É.
Belo como o amor que o gerou.

1:18 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Aquele abraço, Toy.

8:58 da manhã  
Blogger Silvia Chueire said...

Ah, gosto muito.

Um abraço,

Silvia

1:11 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, Sílvia.
Outro abraço.

3:10 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home