segunda-feira, abril 23, 2007

Reflexo









Acrílico sobre tela
Torquato da Luz, 2003

Olha bem os meus olhos e repara
como reflectem a luz dos teus.
Quando nos conhecemos
tudo o que até aí fora escuro e incerto
de súbito iluminou-se
e os meus olhos ficaram espelhos.
Tu surgiste das ondas e o dia
ganhou sol e futuro
e eu lentamente destrancei as algas
que trazias enleadas nos cabelos.
E só sei que desde então
nunca mais houve noite para nós.

15 Comments:

Blogger Laura Lara said...

Tanta beleza aqui reflectida, Torquato!
Beijinhos

11:10 da manhã  
Blogger António Baeta said...

Gostei muito, Torquato, nomedamente esse teu mar, sempre tão presente.
Um abraço.

12:34 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Laura e Toy:
Muito obrigado pela vossa constante amizade.
Beijinhos e abraços.

1:26 da tarde  
Blogger GP said...

Bonita pintura e bonito poema.
Parabéns!

9:35 da tarde  
Blogger Mariana Luz said...

São lindos os seus poemas.

11:16 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, caras GP e Mariana.

9:35 da manhã  
Blogger Silvia Chueire said...

O amor nasce do mar? Ah sim, Venus concordaria. : )
As palavras e a tela casadas.Gosto.

Um abraço,

Silvia

11:26 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, Sílvia.

1:58 da tarde  
Blogger marta said...

Lindo o amor assim cantado.

A tela, outra beleza

beijinho

4:02 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijinho, querida Marta.

10:31 da manhã  
Blogger Fatyly said...

Que linda carta de amor num poema e tela de encantar!
Beijos

11:59 da manhã  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Feliz dia da liberdade!

bjos

12:40 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Caras Fatyly e "as velas...", beijos também para vocês.

2:07 da tarde  
Blogger Susana Barbosa said...

Tão lindo este Reflexo Torquato!
Beijinho

8:52 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro beijinho, Susana.

9:42 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home