sábado, setembro 10, 2005

A tua voz

Vivo da tua voz, o som magnífico
que me mantém desperto,
e tudo o mais que chega aos meus ouvidos
não passa de um ruído desconexo.

A tua voz tem timbre de guitarra
que, incendiando a noite, traz o dia
e as cordas de que se faz
são fios intermináveis de água límpida.

Ao ouvir-te, imagino-me num voo
em pleno céu azul além das nuvens,
ignorante de medos e de dúvidas
e feliz por te ter e ser quem sou.

(2005)

5 Comments:

Blogger addiragram said...

Os blogs de que gostamos têm destas coisas- já tinha saudades de "ouvir" "a tua voz".Obrigada pelo poema.Um abraço

11:26 da tarde  
Blogger Pink said...

Olá, amigo Torquato, estou de volta e deliciei-me com este poema a uma voz, uma voz especial para o poeta! Lindo.
Um beijo e bom Domingo.

12:26 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Caras Addiragram e Pink, muito obrigado pelas vossas palavras. Bjs.

10:15 da manhã  
Blogger António Baeta said...

Já te pensava em férias, mas eis que surges pela voz de por quem vives.
Muito belo!

12:07 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço, António (aliás, Toy...)! Eu, agora, estou sempre em férias - em Lisboa ou algures...

9:06 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home