segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Gente









Rua Augusta, esta manhã
Foto TL
Conheci certa gente que lamento
ter conhecido.
Melhor fora que nem por um momento
me tivesse aparecido.
Mas também houve gente
que ganhei em conhecer
e infelizmente
acabei por perder.
No balancete da vida,
entre o deve e o haver,
a cada coisa perdida
sobrevém outra qualquer.
Mas errará quem disser
que importa é dar-se-lhe o uso
que na hora convier.
Opinião que recuso
com toda a força e prazer.

9 Comments:

Blogger marta said...

Quando olho para trás, tenho pena, às vezes, de alguns dos perdidos.
Beijinhos

4:41 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também eu, é claro, Marta. Alguns...
Mais beijinhos.

5:26 da tarde  
Blogger peciscas said...

Eis um texto um pouco diferente daqueles que, mais habitualmente, por aqui leio.
Mas é fatal que concorde com o que nele está subjacente.
Já estamos numa idade em que temos de elaborar esses tais balancetes, não é, amigo Torquato?

6:39 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Caro Peciscas:
Convém (di)versificar, de vez em quando...
Um abraço.

8:28 da tarde  
Blogger LB said...

Não estar mais certo, amigo Torquato.

Grande abraço.

8:59 da tarde  
Blogger LB said...

Correcção (desculpe):

Não podia estar mais certo, amigo Torquato.

Grande abraço.

9:01 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Não sou muito de olhar para trás, mas agora mediante este teu "vaguear de nostalgia" lembrei-me apenas de alguns e desses, dois jamais voltarão.
A foto é lindissima, onde passei milhares de vezes.
Parabéns pelo post!
Beijos

9:17 da tarde  
Blogger AGRIDOCE said...

Todos nós, de quando em vez, vamos ao nosso livro de contabilidade.
Para que o activo não entre em déficite convém não nos esquecermos que essas contas existem e precisam de muita atenção.
Um bom carnaval (que, por acaso, até não é coisa que me diga muito).

10:27 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Abraços, meus caros Luís, Fatyly e Agridoce, e obrigado pelas vossas palavras.

9:58 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home