quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Sonhos














Da janela lisboeta
Foto TL
Todos os sonhos são absurdos
ou não seriam sonhos.
No entanto, têm regras,
naturalmente também absurdas.
Nos sonhos a gente voa
e outras vezes desliza
a escassos centímetros do solo.
É-me recorrente o sonho
em que flutuo na companhia
dos que amei ou ainda amo,
todos de novo vivos
e reunidos para a festa.

10 Comments:

Blogger Laura Lara said...

É bom voar até aqui e, como num sonho, levar um bocadinho de beleza através das nuvens da fotografia.
Bejinhos, Torquato

8:34 da manhã  
Blogger Diogo Alvim said...

Eu, nos meus sonhos, consigo sempre voar! Basta bater os pés com muita força...

12:06 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Laura:
Pelo sonho é que vamos, como dizia o Sebastião da Gama.
Beijinhos.

Diogo:
Bem-vindo a esta casa, bem modesta se comparada com o "château" do autor do "Blogadíssimo"...
Um forte abraço.

2:20 da tarde  
Blogger Fatyly said...

E nunca abro mão dos sonhos! Gostei muito!
Beijos

4:08 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijos também, Fatyly.

8:30 da tarde  
Blogger Ana said...

Que seria da vida sem sonhos?
Quantas vezes não é a realidade mais absurda que os sonhos?
Nada há de mais belo do que voar na companhia de todos os que amamos. Essa é a festa.
Um beijo .

3:33 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro beijo, Ana.

9:53 da manhã  
Blogger LB said...

Por absurdo, parece que comanda a vida, dizem.

5:38 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Penso que o problema é mesmo esse, caro Luís.

6:33 da tarde  
Blogger marta said...

A janela dá para um jardim! Não há muitos em Lisboa, apesar de conhecer, também, um no Monte Olivete.

Quem me dera ter desses sonhos.

1:42 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home