domingo, outubro 07, 2007

Tatuagem








Não é este o meu mundo, não pertenço
a estas ruas, estas casas, esta gente.
Sou de um país distante, onde me penso
vagabundo incessante e sorridente
por praias que a ternura me consente.

Não é este o meu mundo, não me vejo
ligado a coisas que não posso amar.
Sou de uma terra que namora o mar
e navega nas ondas do desejo,
liberta do temor de naufragar.

Não é este o meu mundo, não aceito
render-me à solidão desta paisagem.
Sou dos campos abertos que no peito
transporto, em traço simples e perfeito
gravados como numa tatuagem.

9 Comments:

Blogger Laura Lara said...

Que lindo poema, Torquato!
Beijinhos

12:47 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijinhos também, Laura. E boa semana!

9:38 da manhã  
Blogger António Baeta said...

Também não me sentiria eu, na solidão dessa paisagem.

12:04 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

"Les beaux esprits...", amigo Toy.

3:01 da tarde  
Blogger Fatyly said...

"Sou de um país distante, onde me penso
vagabundo incessante e sorridente
por praias que a ternura me consente"

que maravilha...que arrepio...posso subscrever?:)

Beijos

7:17 da tarde  
Blogger addiragram said...

Tem força, tem "calor"!

11:26 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijos e abraços, caras Fatyly e Addiragram.

11:54 da manhã  
Blogger Mar Arável said...

Não sei se seria feliz apenas no rio da minha aldeia

abraço

10:53 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também não sei, Filipe.
Outro abraço.

9:59 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home