segunda-feira, setembro 03, 2007

Futuro









Acrílico sobre tela
TL, 2007

De nada me arrependo,
nem mesmo dos erros.
Com eles aprendo
a não cometê-los.

Do passado guardo
na memória apenas
as horas amenas.
Tudo o mais me é vago.

De resto, sei bem
o que é que procuro
e que nome tem.
Chama-se futuro.

10 Comments:

Blogger LB said...

Belíssimo! E tão, tão verdadeiro...!

Um abraço

12:23 da tarde  
Blogger Mïr said...

Um eco de encontro ao futuro. Muito lindo!

1:47 da tarde  
Blogger maria faia said...

O meu passado é recente, mas só penso no futuro.

Gostei muito dos poemas

7:27 da tarde  
Blogger JRL said...

Que boas memórias sobre tão luminosa e bela tela. Um bj

12:40 da manhã  
Blogger Fatyly said...

Fantástico!!!!!!!!****

8:17 da tarde  
Blogger marta said...

Está tudo bem consigo,Torquato da Luz?
é só uma questão de férias?


Beijinho e espero que sim

6:42 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado pela preocupação, cara Marta.
Estou fora de Lisboa, só devendo regressar a meio da próxima semana.
Aproveito esta pontual oportunidade "internética" para agradecer e mandar abraços e beijinhos a todos os comentadores.
Até breve!

12:20 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

Que o futuro te seja ameno, Torquato!
Beijinhos

9:01 da tarde  
Blogger Mariana Matos said...

excelente.

2:03 da manhã  
Blogger Velasquez said...

Grande poema. Boas verdades nele.

seria pedir mt se me colocasses um post sobre o lançamento do meu livro?
se n se importasses colocarias um igual a este, com os links e a imagem tb (para facilitar):

http://blogdapontamentos.blogsome.com/2007/09/11/

Estou te desde já mt grato. E claro, espero que apareças. Se nao for em Lisboa, depois no algarve:)

abraço
cumps
Tiago

9:53 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home