terça-feira, julho 31, 2007

O pesadelo









Jardim da Estrela
Foto TL

Não te aflijas, é só um pesadelo
inexplicável, sem sentido.
O sonho desconhece o proibido
e sobrevoa o singelo
universo vivido.

Tão improvável como o dia
de amanhã ser igual ao de hoje
é a certeza que nos foge
quanto ao que o sonho pressagia.

Errante e passageiro,
mas nem sempre irreal nem sempre verdadeiro,
ao pesadelo há que dar
apenas o seu lugar.

8 Comments:

Blogger Susana Barbosa said...

Excelente poema, Torquato. Um dos seus melhores que jé li.
Bjs

12:05 da tarde  
Blogger espumante said...

Com cerca de duas horas de diferença fizemos ambos alusao ao jardim da Estrela. O amigo Torquato fe-lo com muito mais elevaçao, como eh natural.Mas a coincidencia deu-se...
:)
Um abraço

12:20 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Cara Susana:
Bjs também. E, neste momento especial, votos dos maiores êxitos...

Caro Espumante:
Caso para dizer (modestamente, claro...) que "les beaux esprits...". Quanto à "elevação" de que fala, é evidente que o seu post leva a palma... Basta olhar :)

1:24 da tarde  
Blogger addiragram said...

Bonito e tranquilizante olhar sobre o
pesadelo...Mas "ele" tem um lugar decisivo no processo de sonho-tentativa falhada de elaboração
de uma angústia, sempre preferível à ausência de sonhos..

Um abraço

9:21 da manhã  
Blogger Fatyly said...

A linha ténue que separa a tranquilidade do pesadelo. Fantástico
A foto...como eu adorava comer os figos dos catos:))))

Parabéns e foi tão bom vr até aqui!

Beijos

10:58 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Addiragram e Fatyly, abraços e beijinhos.

1:09 da tarde  
Blogger marta said...

Mas pode ter um peso tão grande, Torquato da Luz.

O peso de não ser irreal.


Beijinhos

5:13 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Com certeza, Marta.
Bjs.

8:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home