terça-feira, junho 19, 2007

Correntes












Foto TL

Deixei-me aprisionar pelas correntes
marítimas que tem o teu olhar.
São mais fortes que tudo o que pressentes
que de algum modo me pode alegrar.

Um guerrilheiro armado até aos dentes,
terrorista sem causa nem lugar,
eis que transporto às costas entrementes
as ondas que se soltam do teu mar.

Mas não me queixo, não me vou queixar
das gaivotas, das algas, das marés
que preenchem o curso dos teus dias

e me prendem e enlaçam no colar
que se desenha à volta de quem és,
sobre a praia das nossas alegrias.

10 Comments:

Blogger Susana Barbosa said...

Correntes da boas, também as há. Que seria de nós sem elas?
Beijinho Torquato

12:38 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

É o caso destas correntes, Susana.
Outro beijinho.

5:30 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Um soneto entrelaçado por correntes melodiosas e tão gratificantes. Gostei muito e a foto é uma das minhas paisagens preferidas.
Beijos

11:08 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

É a minha praia de sempre, Fatyly.
Mais beijos.

12:10 da tarde  
Blogger JRL said...

Ó Torquato da Luz,

Desde que o descobri adoro lê-lo. Os seus poemas são tão envolventes...
Bjs

12:33 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bjs também para si, Joana.

2:34 da tarde  
Blogger Maria Cunha said...

sabe-me bem passar por aqui e ler o que por cá se diz.

muito bom.

obrigada

8:42 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado também pelas suas palavras, Maria.

1:20 da tarde  
Blogger marta said...

As correntes de um mar tão calmo, como eu gosto

Beijinhos

12:03 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Mais beijinhos, Marta.

9:40 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home