quarta-feira, setembro 19, 2007

Vindima











Foto TL

Já se entreabre a porta do Outono
e pouco a pouco a tarde se acinzenta.
Já nos jardins o vento ao abandono
varre a folhagem sonolenta.

Já retoma a cidade o seu vestido
de sombras e nevoeiro.
Já pelos campos esmorece o cheiro
do Verão, intenso e colorido.

Resta-nos, entretanto, a alegria
do néctar que a vindima prenuncia.

8 Comments:

Blogger Laura Lara said...

Que linda fotografia.
Lembrei-me, com saudade, do chiar dos carros de bois, na vindima da minha Avó. É sempre um deleite ler a tua poesia. Obrigada, Torquato, e beijinhos

11:41 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijinhos também para ti, querida Laura.

3:23 da tarde  
Blogger addiragram said...

Bonitas prendas, estes dois últimos
poemas!

3:48 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Ainda bem, cara Addiragram.

5:36 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Um poema nostálgico e gostei muito mesmo sem nunca ter visto a "alegria do néctar que a vindima prenuncia".
Meu rico Verão:(

Paabéns poeta e a foto é linda.

Beijos

10:30 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijos também, Fatyly, e bom fim-de-semana (ainda estival...).

1:36 da tarde  
Blogger Mar Arável said...

MEU CARO POETA

NÃO HÁ IDADE PARA A VINDIMA

PELO CONTRÁRIO

HÁ FALTA DE MÃO DE OBRA

7:18 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Caro E. Filipe, vamos então à vindima, suprindo a falta de mão-de-obra...

8:54 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home