quinta-feira, maio 15, 2008

Impossível clonagem
















Jacarandás da Avenida Dom Carlos I "posam" para o pintor japonês M. Nagashima
Foto TL


Ninguém é repetível, não existe
forma de clonar a alma.
Por mais que atrás de um amor
venha outro amor,
a verdade é que não será igual
ao amor que já foi.
E todo o amor que teremos
a seguir ao que temos
por força será distinto
do que algum dia tivemos.
Amar é sempre despedir-se
de quem se ama.

12 Comments:

Blogger Fatyly said...

Só hoje tive tempo de ler a poesia que ainda não tinha lido. Seria muito dificil eleger "o melhor" porque todos eles têm uma componente humana sensacional: ternura, verdade, sensibilidade, carinho, visibilidade, amor...resmas de amor e de facto: "Ninguém é repetível, não existe forma de clonar a alma.".

ADOREI este momento de leitura e reflexão e as fotos também elas "uma obra de arte".

Um beijo sincero

9:37 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Já tinha saudades, Fatyly.
Outro beijo, também sincero.

1:59 da tarde  
Blogger Once In a While said...

"não existe forma de clonar a alma" .. e quão únicos somos quando a temos .. viva.

Mais um brilhante.

6:36 da tarde  
Blogger LB said...

Apesar das ausências, mais ou menos prolongadas, é sempre um prazer cá voltar e lê-lo amigo Torquato.
Brilhante esta sua reflexão. Tão certa...!

Um abraço
(não consegui lá ir dar-lhe um abraço...)

7:32 da tarde  
Blogger addiragram said...

Sem dúvida.Assim mesmo.

8:44 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Caros "Once...", Luís e Margarida, obrigado e abraços.

9:22 da manhã  
Blogger Tinta Azul said...

Único. Como cada um de nós.

10:38 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Exactamente, cara "Tinta Azul".

11:41 da manhã  
Blogger ana v. said...

"Amar é sempre despedir-se
de quem se ama."

Quanta verdade nesta frase, amigo Torquato. Mesmo quando tudo está bem e se é feliz, a despedida está sempre implícita. Gosto de ler os seus poemas assim, devagar, um atrás do outro, até entrar completamente neles e descobrir que todos fazem parte do mesmo universo. É sempre um prazer voltar aqui.

Um beijo

7:36 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também gosto muito da "Porta do Vento", que abro todos os dias.
Outro beijo, Ana.

9:28 da tarde  
Blogger JRL said...

amar é despedir-se de que se ama. faz-me pensar. gosto muito de o ler. obrigada, Torquato. um beijinho.

5:11 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Eu é que devo estar-lhe grato, Joana.
Outro beijinho.

5:22 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home