segunda-feira, maio 12, 2008

Parecer











Outro
jacarandá
lisboeta
em flor
Foto TL

Pensei que era possível, mas não foi
isso que aconteceu.
Ficámos sem palavras, tu e eu,
e agora o que nos dói
não é a dor do erro cometido,
que sempre acaba em tédio,
mas o mal sem remédio
do tempo não vivido.

Resta-nos, no entanto, pela frente
o tempo por viver.
E é como se de repente
tudo ganhasse um parecer
muito diferente.

11 Comments:

Blogger Once In a While said...

ficar sem palavras, ainda que mudas.
.. sem nada para dizer ou partilhar, contar e fazer rir ..
não imagino pior, de facto.

11:48 da manhã  
Blogger JRL said...

por vezes, tudo parece diferente. um beijinho.

2:49 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijinhos, caras "Once..." e Joana.

4:26 da tarde  
Blogger Tinta Azul said...

Não sei onde se amontoa o tempo perdido [o não vivido]...
Sei que a fotografia do jacarandá é lindíssima!
Linda de tempo para viver. :)

4:52 da tarde  
Blogger addiragram said...

"É por isso que se deve esperar pelo fim da frase e esperar até ao fim da vida para que se revele o sentido. Enquanto o ponto final da frase ou da vida não se coloca, o sentido está em constante possível remodelação".(Boris Cyrulnik)

Ele diz melhor que eu.
um abraço

10:22 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Caras "Tinta Azul" e Margarida, obrigado e abraços.

8:43 da manhã  
Blogger isolano said...

Gosto da elegância formal dos seus poemas. Da simplicidade da linguagem. É muito bom encontrar uma escrita poética límpida, despida de arabescos e artifícios inúteis. Ainda assim, plena de emoção e de sentido.

11:55 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também gostei, Isabel, do seu "Ver inVerso", que passa a constar da lista das minhas predilecções.

8:51 da manhã  
Blogger mariam said...

navegando um bocadinho por este "mar da palha" acostei por momento ... aqui... e gostei (muito) do ainda pouco que vi!

as palavras... o azul... o "aroma"

bom fim-de-semana

um sorriso :)

1:24 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, "Mariam". Bom fim-de-semana também e outro sorriso :)

4:43 da tarde  
Blogger Pink said...

O tempo não vivido é, de facto, um mal sem remédio. Contudo, é tranquilizadora a ideia de que nos resta o tempo por viver e é nesse que temos de apostar!

Belo poema.
Deixo um beijo pink :-)

10:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home