quinta-feira, janeiro 08, 2009

Sombra
















Alfama / Foto TL, 2008
Era tudo bem simples e ameno.
Tu trazias no espelho do olhar
uma paisagem que lembrava o mar
do tempo em que eu ainda era pequeno.
E, sendo tudo fácil e sereno,
logo li no teu rosto a singular
e intensa luz que herdaras do luar,
ignorante da sombra e do veneno
destes dias sem chama nem futuro
em que o sol se envergonha atrás do muro.

7 Comments:

Blogger once said...

feliz ignorância esta .. como uma ode à esperança :)

10:16 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Resta-nos, ao menos, a esperança, Catarina :)

1:49 da tarde  
Blogger mdsol said...

:))

4:43 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Mdsol:

:))

8:07 da tarde  
Blogger Marcos Miorinni said...

Parabéns pela composição dos textos e do blog, gostaria de acompanhá-lo, seria um prazer,
aguardo uma resposta, obrigado e um excelente 2009 repleto de paz e realizações.
Abraços Literários.
Marcos Miorinni

8:47 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bom 2009 também e abraços, Marcos.

9:42 da manhã  
Blogger Fatyly said...

Espuma na Revolta da Sombra...

como gostei de ter vindo aqui saborear esta poesia e deliciar-me também com as fotos.

Beijos e um bom fim de semana

9:19 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home