quinta-feira, dezembro 18, 2008

Imagem










Acrílico sobre tela / TL, 2008
Olho-me ao espelho e não me reconheço
na imagem que o espelho me devolve:
é o tempo, cruel, cobrando o preço
dos erros que somei desde o começo
e dos quais não me absolve.

Mas nada me garante que outra imagem
o espelho me traria devolvida
se eu tivesse vivido uma outra vida
e empreendido outra viagem.

9 Comments:

Blogger once said...

tempo propício aos balanços este ..

:)

11:11 da manhã  
Blogger mdsol said...

Interessante o tema da imagem devolvida! A realidade foi a possível de viver!
:))

12:32 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Balanços e contas, Catarina... :)

A imagem é a realidade, Mdsol... :))

5:42 da tarde  
Blogger addiragram said...

O problema é que há dias em que usamos lentes que só conseguem ler poucos gradiantes de luz e, o que vemos, de facto , é uma imagem distorcida.Esquecemo-nos de que para aqui termos chegado tivémos de viver também com alegria, paixão, entusiasmo. E esses sinais, quando bem olhados, também devem lá estar. Vamos descobri-los?

9:42 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado por esse contagiante optimismo, Margarida.

10:04 da manhã  
Blogger RAA said...

Este é doloroso, caro Torquato. Eu começo a ter dificuldades de reconhecimento... Mas é como nos diz: quem nos garante que a vida seria mais benigna para a nossa imagem ao espelho se a tivéssemos vivido de outra forma?
Um abraço.

12:36 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, caro Ricardo - e, já agora, Boas Festas!

9:09 da manhã  
Blogger Tinta Azul said...

Kundera diz
"a vida é um esquisso"


:)

9:28 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

:), Tinta Azul...

9:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home