terça-feira, janeiro 20, 2009

Talvez, mas não














Senhora da Rocha, Algarve/Foto TL, 2008

Talvez fosse melhor fazeres de conta
que tudo em volta é simples e perfeito
e que a dor que te pesa sobre o peito
é fugaz e de muito pouca monta.

Talvez fosse melhor, barata tonta,
fugires com medo, a torto e a direito,
e, sem buscar destino nem preceito,
pôres de lado a chatice e a afronta.

Talvez fosse melhor, mas tu não queres
o caminho mais fácil, tu preferes
rasgar o chão pelos teus próprios passos,

como quem, sobre o muro da solidão,
pouco a pouco destrói a escuridão
e se abre à luz dos mais amplos espaços.

11 Comments:

Blogger Carol Timm said...

Torquato,

É uma bela foto perfeita para este lindo poema.

Acho que vou republicá-lo um dia destes, posso?

2:06 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Claro que pode, Carol.

3:34 da tarde  
Blogger Mar Arável said...

Ainda bem que as águas

nem sempre

são estagnadas

Que respirem

contra as margens

11:01 da tarde  
Blogger mdsol said...

A fotografia muito bonita
...Mas o soneto... Forma difícil não?
Gostei!

:))

11:41 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, caros Filipe e Mdsol.

9:21 da manhã  
Blogger once said...

"fazer de conta .." só em histórias de encantar Caro Poeta .. e essas reservo-as para adormecer a criançada :)

3:09 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

De acordo, caríssima Catarina :)

4:20 da tarde  
Blogger addiragram said...

Quem segue caminhos fáceis, muito dificilmente se sente vivo. São opções!

10:43 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Certamente, Margarida.

10:02 da manhã  
Blogger Vieira Calado said...

Passei para ler estes belos poemas
e deixar um abraço.

4:01 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Um forte abraço também, caro Vieira Calado.

9:51 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home