segunda-feira, setembro 20, 2010

Tudo passa

Travessa da Peixeira, a São Bento

Passam novos e velhos, passa gente
das mais diversas cores e feitios.
Passam corpos fantásticos, esguios,
e outros que apenas seguem na corrente.
Passam carros, comboios e navios
de longo curso e com destino urgente.
Passam aves traçando o transparente
voo por cima dos montes e dos rios.
Passam horas, minutos e segundos
nos relógios de todos os futuros
à espera do advento de outros mundos.
E passam nuvens branqueando o céu,
alheias a tristezas e a muros,
pois tudo passa e hei-de passar eu.

9 Comments:

Blogger Obtuso said...

... e eu também!
Gostei.
Abraço

7:44 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Todos nós, caro Tibério!
Abraço também.

8:58 da tarde  
Blogger addiragram said...

A perspectiva da fotografia é óptima e o poema ainda mais...

Um abraço amigo

10:09 da tarde  
Blogger jrd said...

A vida é mesmo uma passagem.
Abraço

12:29 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço também, cara Margarida!

Outro, amigo João!

9:40 da manhã  
Blogger mdsol said...

:))

12:23 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

:))

9:17 da manhã  
Blogger Mar Arável said...

Ficam as pedras com vida por dentro
Abraço

4:25 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Talvez, caro Filipe...
Abraço também.

5:18 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home