terça-feira, fevereiro 22, 2005

Por ti

Escrevi o teu nome em todos os lugares,
procurei-te sem fim nos dias mais incertos,
tive sede de ti na solidão dos bares
e fome do teu corpo em todos os desertos.

Fui soldado e lutei em busca do teu rosto,
que vi impresso a fogo em todas as esquinas.
Deixei que me queimasse a dor do sol de Agosto
e mergulhei sem medo em plagas submarinas.

Para te ter venci as longas avenidas
de todas as cidades que ninguém ousou.
E por ti viverei largos anos de vida
na ânsia de te dar tudo o que tenho e sou.

(2005)

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Lindíssimo, este poema. Um beijo!

Maria B.

8:27 da tarde  
Blogger Pink said...

Poema intenso e muito belo! Que ditoso será quem assim for amado! Um beijo.

12:27 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Há muito tempo que não lia um poema tão belo. Um beijo

1:32 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Muito obrigado. Beijos para vocês também.

9:38 da manhã  
Blogger António Baeta said...

Que força, que ânsia de viver!
Um abraço.

1:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home