sexta-feira, julho 29, 2005

Cansaço

Se disser que estou cansado, não me leves a mal.
Venho de muito longe e tenho os pés doridos
de caminhar, na busca de sentido
para as coisas que a vida me depara.

Houve um tempo em que tive as íntimas certezas
de quem crê que o esperam etapas sobre etapas
e as vencerá a todas, uma a uma,
galgando muros e explorando veredas.

Foi tudo tão veloz e tão disperso
que nem dei pelas ervas, as daninhas ervas
que, ao fim, me distraíram de quem era,
irrompendo no meio da seara
que com as próprias mãos eu semeara.

(2005)

9 Comments:

Anonymous Mécia Maria said...

Gostei muito, tanto deste como dos outros poemas. Vou voltar com frequência. Parabéns!

1:25 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, Mécia! Um beijo.

7:30 da tarde  
Blogger Pink said...

Gostei imenso deste teu poema e revejo-me, neste momento , nas duas primeiras estrofes. Enfim...
Um beijo

11:26 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Amiga Pink, desejo sinceramente que o futuro te reserve uma terceira estrofe bem mais positiva e animadora. Outro beijo!

9:54 da manhã  
Anonymous candida said...

eu tb estou cansada, sobretudo de traições. fui vilmente traída pelo meu país.

11:45 da tarde  
Blogger lilla mig said...

Muito bom, Torquato! :)

7:58 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Cândida:
Deixou-me sem palavras e a verdade é que não sei como confortá-la. Um beijo!

9:52 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Lilla:
Obrigado. Um beijo!

9:53 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

tem aqui um blog escrito com sentimentos como eu gosto e se não se importar passarei mais vezes por cá.abraço-www.amcosta.blogs.sapo.pt

3:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home