quarta-feira, julho 06, 2005

Mil vezes

Já te disse mil vezes que te amo
e mil vezes duvidaste.
Fazes tu muito bem.
Também eu dia a dia te reclamo
tanto amor quanto me baste
e nada me detém.

Sou um pobre poeta siderado
pela luz que despenteia
os cabelos do mar.
Já dei por mim insone e deslumbrado
ante a simples ideia
de que hei-de madrugar.

Mas só o que me incendeia
é o sol do teu olhar.

(2005)

3 Comments:

Blogger JG said...

Mais um belo poema, Torquato. Um abraço

7:17 da tarde  
Blogger António Baeta said...

Mil vezes lindo, Torquato.

1:10 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado aos dois pelas palavras amigas.

2:31 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home