terça-feira, julho 26, 2005

Desamor

Tempo de desamor,
cinzento e inimigo,
tempo de ácidas nuvens carregadas
de escuridão e incerteza,
tempo de abismos e ausência,
sem luz nem transparência.

Apenas um sorriso de criança
ainda dá lugar à esperança.

(2005)

5 Comments:

Blogger Laura Lara said...

Lindo! Com tua licença, vou oferecê-lo à Helena, que nasceu no dia 18.
Obrigada

2:17 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Fico muito contente por isso. Um beijinho à Helena e outro à babada tia-avó!

3:28 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

Cheguei aqui através do Espumante. Vou voltar. Adoro poesia.
Até breve.

9:17 da tarde  
Blogger Pink said...

Amigo Torquato, que bem descreves o tempo de desamor e tudo o que ele contém! Lindo o poema! Um beijo.

10:42 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro beijo para ti, amiga Pink!

9:44 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home