segunda-feira, setembro 19, 2005

Desiguais

Nós não somos iguais.
Cada um tem
um código genético
que o distingue dos mais.
Jamais alguém
por milagre dialéctico
(está mais que visto)
logrará mudar isto.

(2005)

8 Comments:

Blogger Fábio said...

Caro Torquato,
Após um pequeno "recesso criativo", voltei a blogar (não que tenha melhorado muito, hehehe).
Dê uma olhada na obra de André Damázio. O blogue dele está no meu post mais recente.
Ele é um amigo meu, vencedor de alguns concursos e prêmios por aqui.
Se for possível, eu gostaria muito de ouvir sua opinião sobre ele. Se você preferir, conte-a via email, fabiomoraes@hotmail.com .
Abraço.

2:43 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Olá, Fábio!
Gostei desse poema de André Damázio, mas precisava de ler mais, para dar uma opinião. Infelizmente, ele parece ter desistido do blog. Ou não?
Um abraço.

4:50 da tarde  
Blogger Fábio said...

Torquato,
No blog dele, na coluna à direita, vc pode ver mais poemas. Há também o histórico de posts, mês a mês.
Ele não desistiu, apenas publicou só um poema este mês.
Abraço.

5:03 da tarde  
Blogger António Baeta said...

Mais do que a nossa condição animal, que nos faz diferentes, há que ter em conta a nossa condição humana e gregária, que nos deveria considerar a todos iguais perante a lei; só que há uns mais iguais do que os outros.

12:32 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

É claro, Toy! O abraço de sempre.

12:44 da tarde  
Blogger Ana Maria said...

ainda bem.

10:34 da manhã  
Blogger espumante said...

2+2=4 dito de forma poética...
:)

5:22 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um bj à Ana Maria e um abraço amigo ao caro Espumante.

10:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home