sexta-feira, novembro 11, 2005

Madrugada

Cola os ouvidos ao silêncio, quando os pássaros
voltearem na casa abandonada.
Só então conhecerás o rumor dos passos
que precedem a madrugada.

Toda a vida é um quadro em que os tons claros
dão por vezes lugar aos mais escuros.
Mas não é raro
florescerem manhãs por trás de velhos muros.

Deixa portanto à solta o coração
e acolhe a luz que espreita além da escuridão.

(2005)

9 Comments:

Blogger Laura Lara said...

É o que tento fazer diariamente: "acolher a luz que espreita além da escuridão".
Beijinhos e bom fim-de-semana, Torquato.

11:00 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bjs e bom fim-de-semana também, Laura.

9:30 da manhã  
Blogger Pecaaas said...

...os tons escuros calharam-me agora a mim....
1 Abr e obr.
Pedro

4:20 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, Pedro.

8:58 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Adorei. Carregado de esperanças...
beijinhos grandes,
Mjoão

11:36 da manhã  
Blogger António Baeta said...

Como não gosto de me deitar cedo, é-me difícil madrugar.
Mas este poema é uma tentação.

11:41 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijinhos, Mjoão, e um abraço, António.

11:53 da manhã  
Blogger maat said...

gostei .

Belo .

10:34 da tarde  
Blogger Maheve said...

"Deus ajuda a quem cedo madruga"...
Eu prefiro deitar quando o sol está por nascer, adoro ler e escrever durante a noite portanto, sou amiga dos passarinhos que anunciam o dia, quando eles acordam é que eu vou deitar rs...

4:23 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home