quarta-feira, outubro 19, 2005

Dores e amores

Nenhuma dor é passageira, todas doem
para o resto da vida.
Perseguem-nos nas horas inquietas,
quais fantasmas secretos e sombrios.

Também os amores deixam um rastro imperecível.
Por mais que tentemos arrumá-los
em qualquer canto da memória,
regressam sempre.

Mas são as dores e os amores
que nos seguram ao correr dos dias.

(2005)

7 Comments:

Blogger Laura Lara said...

Tão verdade, Torquato.
Um abraço

6:50 da tarde  
Anonymous mariaazenha said...

mais do verdade,é belo!
Há muito que não vinha receber esta poesia.
bj,

maria azenha

9:48 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Laura e Maria, obrigado pelas vossas palavras amigas e beijinhos!

3:56 da tarde  
Blogger lilla mig said...

Que simples e verdadeiro! Gosto muito dos teus poemas!

10:28 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, Lilla.

11:55 da manhã  
Blogger Pink said...

Quem assim escreve, sente, pensa e depois verte tudo isso e a sabedoria da vida para um belo poema como este!
Beijo e bom fim de semana.

11:44 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um beijinho, Pink, e bom fim de semana também!

9:38 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home