quinta-feira, setembro 29, 2005

Quatro estações

No tempo em que eram quatro as estações do ano,
havia o Outono e tu chegavas.
Trazias o olhar cheio de marés
e enredados nos cabelos
restos de conchas, búzios, algas, essas coisas
que as ondas gostam de lançar à praia.

Embora tenha sido há muitos anos,
ainda lembro o desenho dos teus lábios,
de uma cor roubada
ao vermelho das arribas.

Estendias-me as mãos e eu procurava
agarrá-las como quem
no deserto encontra a água dos oásis.

Depois, vinha o Inverno e nós vivíamos
a mútua entrega dos nossos corpos jovens,
até sobrar da Primavera
um Verão à espera de outro Outono.

(2005)

9 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Belíssimo.

11:38 da tarde  
Blogger António Baeta said...

Lindo de morrer!
Felizmente estamos no Outono.

3:41 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, caros Anonymous (?) e Toy. Bom fim-de-semana!

5:23 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

Vale mesmo a pena vir a este cantinho ler poemas tão lindos. Obrigada, Torquato. Beijos e bom fim-de-semana

5:41 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Retribuo os beijos e os votos para o fim-de-semana, Laura. A propósito, a "Senda" está cada vez melhor. Parabéns! Gostei muito do último "respigo africano", que acabei de ler.

6:53 da tarde  
Blogger Pink said...

Lindíssimo poema de memórias das quatro estações.
Bom fim de semana e um beijo.

12:00 da manhã  
Blogger Laura Lara said...

Obrigada Torquato.
Beijinhos

2:42 da manhã  
Blogger Pecaaas said...

Muito brm! Gosto mesmo!
1 Abr
Pedro

6:38 da tarde  
Blogger Pecaaas said...

Que bela forma de falar das estações!
1 abr
Pedro

8:54 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home