quinta-feira, março 09, 2006

Para sempre

Houve tempo em que me chocava
o sussurro dos medíocres.
Mas depois reparei que a mediocridade
afinal governa o mundo.

Foi então que passei a ignorar
a lengalenga da inveja,
o riso alarve do despeito.

E fui feliz para sempre,
como era inevitável.

(2006)

6 Comments:

Blogger Laura Lara said...

Bom conselho, mas, por vezes, difícil de pôr em prática.
Um abraço amigo, Torquato

9:47 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Pois é, Laura. Aí reside o problema. Um beijo.

11:22 da manhã  
Blogger RAA said...

Revejo-me nestas palavras cheias de sabedoria.

12:18 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço, caro Ricardo, e obrigado.

1:59 da tarde  
Blogger António Baeta said...

Não é fácil, não, despirmo-nos assim da inveja e do despeito. Basta uma distracção e lá está o despeito a actuar por inveja ou a inveja a impor-se, por despeito.

4:35 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

A idade, meu caro Toy, não nos traz só desvantagens. Uma das suas vantagens é, precisamente, a de sabermos isso. O abraço de sempre.

6:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home