sexta-feira, fevereiro 24, 2006

A noite

A noite não tem modos nem emenda,
chega a qualquer lugar a qualquer hora,
e como um pesadelo que demora
me atormenta.

Impenitente, a noite é a medida
dos medos todos da vida,
mas nela é que me perco e me procuro
sem temer o futuro.

(2006)

3 Comments:

Blogger António Baeta said...

A noite é o sonho, o outro lado da vida.
Gostei!

5:26 da tarde  
Blogger Eva Luna said...

*´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨) Torquato,
(¸.•´ (¸.•` ** Beijos**
(¨`•.•´¨) ** e beijos **
.`•.¸(¨`•.•´¨) ** Eva**
.... ×`•.¸.•´× (¨`•.•´¨)
....(¨`•.•´¨). ×`•.¸.•´×

6:55 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um abraço, António.
Beijos também, surpreendente Eva.

7:05 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home