quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Indiferença

Não te amo nem te odeio,
disparou ela a meio
da conversa, como quem
lhe acertasse em cheio
onde nunca ninguém.

Mas haverá quem se convença
de ódio maior que a indiferença?

(2006)

6 Comments:

Blogger Eva Luna said...

Gostaria de ter sido eu a escrever este poema. Desde sempre as paisagens me foram retiradas e nem indiferença me deixaram. Tento emergir. Um beijo

9:02 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um beijo, Eva. E parabéns, de novo, pela Paisagem Retirada.

9:36 da manhã  
Blogger António Baeta said...

Não quero deixar a marca da minha indiferença.

12:13 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Óptimo, Toy. Um abraço.

2:53 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

Como sempre, bonito e verdadeiro.
Beijinhos e bom fim-de-semana

5:41 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Idem, Laura.

8:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home