segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Amor breve













Rua dos Poiais
de S. Bento
Foto TL

O amor é sempre breve, mas desenha
na nossa vida um rasto que perdura
para além do novelo da ternura:
o rasto que transporta o santo-e-senha
para as portas fechadas que o destino
depara a cada um desde menino.

Sobre ser breve, o amor é sempre frágil
e raro escuta o ritmo das marés
que nos faz oscilar o dia-a-dia.
Mas é ver como às vezes fica ágil
e corre e salta e foge a sete pés
do que nos tolhe o rosto da alegria.

14 Comments:

Blogger António Baeta said...

O amor é assim frágil, breve, fugaz, e ágil por vezes, como nós mesmos, apesar das certezas e das convicções que gostamos de afirmar.
Gostei muito, muito mesmo.
Um abraço, meu amigo.

11:12 da manhã  
Blogger marta said...

Fico só a ler, a ler e a ler.

1:45 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Toy:
O abraço de sempre.

Marta:
Mais um beijinho.

6:15 da tarde  
Blogger Fatyly said...

o rasto que transporta o santo-e-senha
para as portas fechadas que o destino
depara a cada um desde menino
.....................
....................
que ternura e parabéns pela foto!
Beijocas

6:28 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bjokas também, Fatyly.

10:10 da manhã  
Blogger blugaridades said...

O amor é sempre frágil?
Nem sempre! Penso eu. O amor é sólido,enraíza,na leira mais doce do terreno humano: o coração.
Gostei muito do poema. Voltarei

1:34 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Volte sempre, blugaridades!
Também gostei do seu blog.

4:49 da tarde  
Blogger RAA said...

Caro Torquato:
Penso que lhe enviei o mail com sucesso.Um abraço.

5:28 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bem haja, caro Ricardo!
Outro abraço.

6:10 da tarde  
Blogger peciscas said...

Às vezes é tão breve, que apenas dura o espaço de uma vida...
Mais um belo texto!

7:45 da tarde  
Blogger Maria Costa said...

"Sobre ser breve, o amor é sempre frágil
e raro escuta o ritmo das marés
que nos faz oscilar o dia-a-dia."

8:13 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Aquele abraço, caro Peciscas.

Obrigado, Maria Costa.

9:12 da manhã  
Blogger LB said...

O amor é... o amor! E, assim dito, ainda o parece mais.

Um abraço

6:02 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, Luís.

7:20 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home