sexta-feira, janeiro 04, 2008

(E)terna Lisboa













Foto TL

Não me perguntem donde venho
ou para onde vou.
Não tenho
memória do que se passou
e porventura deixei
nos lugares por onde andei.

Nada me prende ao que resta
de uma noite de festa
que talvez nem tenha acontecido.
Tão-pouco sou um pássaro perdido
do ninho na floresta.

Basta-me ser uma pessoa
que (e)ternamente ama Lisboa.

8 Comments:

Blogger JRL said...

Um amor assim faz inveja a qualquer um ;). Bom fim de semana, com Lisboa aí mesmo ao lado.

10:05 da tarde  
Blogger addiragram said...

Estou, também, do mesmo lado...:)

10:53 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Joana e Addiragram:
Tenham também um bom fim-de-semana!

10:04 da manhã  
Blogger mariazinha said...

Não resisto à tentação de lhe dizer o quanto admiro a sua Poesia. Obrigada pelos muitos momentos de deleite que a sua escrita já me proporcionou, e espero que não se importe que o cite, de vez em quando... acredito na partilha das coisas belas que nos tocam.
Um abraço.

5:22 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Esteja à vontade, cara inconfidente.
Outro abraço.

6:04 da tarde  
Blogger Fatyly said...

A tua poesia é fantástica e sente-se cada palavra. Amas de facto a tua Lisboa...e se eu fosse poeta (mas sou sim senhora da VIDA) diria

Basta-me ser uma pessoa
que (e)ternamente ama LUANDA.:)

Parabéns**

6:58 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Muito bem, cara Fatyly.
Nunca estive em Luanda, nem prevejo lá ir, mas, pelo que lhe conheço através de fotos, tv e cinema, é uma cidade que merece ser amada.
Bjs.

8:23 da tarde  
Blogger alfacinha said...

como estrangeiro e turista posso indentificar me com as suas palavras doces . Também amo de lisboa
http://blog.seniorennet.be/lisboa

10:16 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home