quinta-feira, janeiro 03, 2008

Tejo












Foto TL

Nas tardes de programa indefinido,
quem namora o Tejo, meu rio preferido,
fica a saber que não há melhor maneira
de ser feliz do que ter a vida inteira
o olhar atento ao voo das gaivotas,
essas aves vadias que indicam a rota
aos barcos, entre as duas margens.

E jamais buscará outras viagens,
tidas as que lhe oferece o inspirado
rio Tejo, amor sem rasto de pecado,
nas tardes de programa indefinido
em que nada mais parece ter sentido.

7 Comments:

Blogger Fatyly said...

e deste-lhe um "sentido" fantástico!
Adorei!

Beijocas

8:56 da tarde  
Blogger marta said...

Cada vez gosto mais de o olhar da outra margem, onde é mais rio e menos mar.

Beijinho

1:17 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Os beijinhos de sempre, Fatyly e Marta.

9:47 da manhã  
Blogger JRL said...

o rio Tejo é uma coisa maravilhosa. quando era novita desci-o desde a fronteira com Espanha até ao ginjal. foi uma experiência inesquecível. beijinho

1:36 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Aí está uma coisa que eu também gostaria de fazer, Joana. Outro beijinho.

3:10 da tarde  
Blogger Paula B. said...

Peço perdão.
Roubei-lhe este poema por causa do Tejo!
Um abraço

3:02 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Não tem de que pedir perdão, Paula.
Um abraço tb.

3:37 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home