quinta-feira, novembro 22, 2007

Miragem















Foto TL

Proibi-te a entrada nos meus sonhos,
mas teimas em aparecer.
Mal fecho os olhos
e me deixo adormecer,
logo me surge a tua imagem
incendiando a paisagem.

E, sem saber o que fazer,
busco conforto na miragem
de um dia te esquecer.

10 Comments:

Blogger JRL said...

Que gosto muito da sua escrita já lho disse. Revejo-me nela apenas porque sou humana... Um beijo e bom fim de semana.

2:54 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também gosto muito do que lhe vou lendo na "8ª Edição", caríssima Joana.
Mais um beijo.

4:52 da tarde  
Blogger Mar Arável said...

M EU CARO

OS POETAS SÃO ASSIM

NUNCA DORMEM DESCANÇADOS

11:08 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Pois é, caro Filipe.

9:50 da manhã  
Blogger addiragram said...

Os sonhos dão-nos a nossa própria medida.Eles nunca se enganam!

11:24 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Também me parece, cara Addiragram.

3:00 da tarde  
Blogger António Baeta said...

Talvez o teu subconsciente não queira mesmo esquecer.
Deixa lá!
Mas o poema é muito belo!

3:24 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Com certeza, amigo Toy.

5:26 da tarde  
Blogger Fatyly said...

Miragens que fazem parte de uma vida sensível ao que lhe rodeia.
Uma certeza eu tenho: poeta, quem te lê não precisa de nenhuma miragem!

Por este 4 beijinhos:)

5:48 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

4 beijinhos também, Fatyly.

2:20 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home