segunda-feira, novembro 12, 2007

Antes que









Acrílico sobre tela
TL, 2007


Antes que a noite chegue e nos estenda
a sua imensa rede de emboscada.
Antes que, além da noite, a madrugada
assome e, ela também, nos surpreenda.

Antes que, rematando a manhã clara,
a luz do meio-dia nos aguarde.
Antes que, sendo cedo, seja tarde
para aquilo que o tempo nos prepara.

Antes que o sol de todo se despeça,
deixando escuridão e nada mais.
Antes, enfim, que vás e eu te esqueça

e não subsistam traços nem sinais
de ti gravados na minha cabeça
e as horas todas nos sejam iguais.

21 Comments:

Blogger Laura Lara said...

Que belo!
Boa semana para ti, Torquato.
Beijinhos

10:50 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado pelo constante atenção, Laura.
Boa semana e beijinhos também.

2:36 da tarde  
Blogger JRL said...

antes que eu tenha de continuar a trabalhar, vou ler este belo poema, uma vez mais. A tela é muito expressiva, muito bela.

2:57 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um beijo grato, Joana.

5:19 da tarde  
Blogger António Baeta said...

Este comentário foi removido pelo autor.

12:30 da tarde  
Blogger António Baeta said...

Dize-lo tão bem, meu amigo!

Apaguei o comentário anterior porque bati mal uma palavra. Podes apagá-lo em definitivo, se quiseres.

12:37 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Não há problema, Toy, vou deixar como está.
Um abraço.

1:34 da tarde  
Blogger Huckleberry Friend said...

Belíssimo! Do espreguiçar de um corpo embalado pela lua à fugacidade de quase tudo o que as nossas vidas tocam, e para mais na forma nobre do soneto, que domina tão bem. Um abraço, nesta minha estreia a comentar o seu ofício, e um convite.

3:30 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bem-vindo, Huckleberry, e parabéns pelo Codornizes, que já linkei.

4:42 da tarde  
Blogger RAA said...

Em grande forma, caro Torquato! Um abraço.

10:59 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, caro Ricardo.

9:02 da manhã  
Blogger Mïr said...

Gostei imenso do acrilico.

4:56 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

O autor agradece, Mïr :)

8:30 da tarde  
Blogger Sofia Loureiro dos Santos said...

Gostei mmuito, Torquato.

9:27 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um beijo, Sofia.

9:02 da manhã  
Blogger av said...

Belíssimo, Torquato. O soneto continua a ser uma arquitectura poética que eu adoro. E quando é bom, como este, vale mesmo um aplauso!
Um beijo
ana

10:28 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro beijo, Ana.

9:25 da manhã  
Blogger Fatyly said...

Li e reli e para mim - leiga em poesia mas que adora ler - neste soneto falta-me algo:) não, não é ferrero roche:)))

A minha leitura sentida (vamos a ver se consigo expressar:

Antes que... pois bem segues a descrição do processo até à morte e antes que...o quê? desembucha...retenho a tua imagem? amor? medo? choro?

Antes que eu vá embora
falta algo neste soneto
digo-te aqui e agora
que ele está incompleto

Ah Torquato peço desculpa...uma simples leitora a chamar a atenção de um grande mestre de poesia.

Mas foi o que eu senti e a tela é expressiva de como fiquei tão confusa.

Um beijo sincero

8:30 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Querida Fatyly, essa do "grande mestre" deixou-me sem palavras... de tanto rir. Só tu.
Beijinhos.

9:03 da tarde  
Blogger addiragram said...

ANTES que o soneto me fuja,
antes que a página se extingua,
antes que a vida se escoe,
antes que a luz escureça,
antes que o canto se cale,
antes, antes, antes...
é-me obrigatório dizer...

o prazer de o ler...

(viver é dizer a cada momento)

Um abraço

11:22 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço e obrigado, Addiragram.

3:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home