segunda-feira, outubro 13, 2008

Vertigens



















Arco das Portas do Mar, Rua dos Bacalhoeiros, Foto TL, 2008
Gostavas de ter as certezas de quem desconhece a dúvida
e pensa que tudo é sempre linear e exacto
sem lugar para o erro ou o engano,
mas a verdade é que não tens nada disso
e pisas a todo o tempo uma corda frágil,
esticada sobre um rio cujas margens
se chamam tristeza e alegria,
tu que sofres de vertigens desde a infância.
Mas não te importes, tudo irá compor-se
e há-de vir um dia em que as margens se juntarão
e não mais terás medo das alturas.

9 Comments:

Blogger Once said...

"certezas de quem desconhece a dúvida .." verdadeiros becos sem saída :)

Boa semana Caro Torquato

9:07 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Boa semana também, cara "Once".

3:50 da tarde  
Blogger Tinta Azul said...

E quem nunca teve vertigens?
E quem só deu passos seguros?

:)

9:28 da tarde  
Blogger claras manhãs said...

É bom andar nas alturas, tão bom mesmo
mas as margens parecem que sempre se andam a movimentar, mas na ponta de lá a tristeza já é rara.

Beijinho Torquato

11:51 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

:) e beijinho também, caras "Tinta Azul" e Minucha.

9:43 da manhã  
Blogger addiragram said...

A dolorosa sabedoria de tolerar o desiquilíbrio.

12:15 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Talvez, Margarida :)

5:56 da tarde  
Blogger Paula Crespo said...

Sempre certezas e nunca dúvidas?! Que monotonia...
Gostei da metáfora da linha esticada entre a alegria e a tristeza. É isso mesmo...

9:54 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Também penso que deve ser monótono, Paula.
Entretanto, fui espreitar o seu blog e fiquei curioso: quando é que começa a postar?

10:20 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home