sexta-feira, janeiro 30, 2009

Nenhum dia
















Lisboa e Tejo/ Foto TL, 2008

Nenhum dia é cinzento quando a minha
mão sequiosa encontra no teu rosto
o alívio da dor e do desgosto
que desde há muito tempo mal continha.

Nenhum dia é cinzento quando a linha
que o teu olhar desenha é a meu gosto
e me incendeia como um fogo posto
lavrando à solta sobre erva daninha.

Nenhum dia é cinzento quando os meus
lábios sedentos se colam aos teus
e tudo à nossa volta ganha cor.

Nenhum dia é cinzento quando a chama
do meu corpo que o teu corpo reclama
só se traduz nesta palavra: amor.

10 Comments:

Blogger once said...

a vida não é cinzenta Caro Torquato .. ainda que nem sempre tenhamos a sorte de estar nesse estado de graça que tão bem escreve e ilustra.
:)
Bom fim-de-semana

4:17 da tarde  
Blogger PreDatado said...

Bonito soneto de amor. Quando se ama de verdade todos os dias são luminosos.
Um abraço.

5:44 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Bom fim-de-semana também, caríssima Catarina.

Outro abraço, caro PreDatado.

6:40 da tarde  
Blogger Fatyly said...

O amor verdadeiro ilumina tudo. Lindissimo e a foto também.

Beijos e um bom fim de semana

6:46 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijos também e um excelente fim-de-semana, querida Fatyly.

9:13 da tarde  
Blogger addiragram said...

O Amor está vivo!

10:41 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Felizmente, Margarida!

11:50 da manhã  
Blogger anareis said...

Estou fazendo uma campanha de doações para criar uma minibiblioteca comunitaria na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todos.Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos.Meu e-mail asilvareis10@gmail.com

10:23 da manhã  
Blogger Tinta Azul said...

Ainda bem que o amor tem o poder de desconstruir o cinzento dos dias.

:)

2:58 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Só o amor o consegue, cara Tinta Azul.
:)

5:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home