sexta-feira, março 06, 2009

Tejo mar



















Foto TL, 2008
De vez em quando vence-me a saudade
da beira-mar do tempo em que aspirava
a toda a hora a maresia e achava
que só tinha certezas e verdade.

Percorro então as ruas da cidade
até lavar no Tejo o meu olhar
como se no seu espelho visse o mar
e transformasse o sonho em realidade.

10 Comments:

Blogger mdsol said...

:))

1:18 da tarde  
Blogger addiragram said...

Quem não tem saudades desse tempo? Mas este nosso Tejo não nos deixa ficar mal.Traz-nos belos momentos tão reais...

Um belo poema, pleno de nostalgia.

Um beijinho

2:06 da tarde  
Blogger once said...

"até lavar no Tejo o meu olhar" :)
Gostei tanto!

2:35 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado e bom fim-de-semana, caras Mdsol, Margarida e Catarina!

3:55 da tarde  
Blogger isolano said...

E o Tejo sempre ali, amigo de sempre, lavando-nos o olhar no final de cada caminhada.

Muito bonito.

4:58 da tarde  
Blogger Ana said...

... como só os poetas sabem!

1:09 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Bom fim-de-semana também, Isabel e Ana!

1:25 da tarde  
Blogger Tinta Azul said...

Tejo-mar

Olhar
deixar-se ir
Navegar....

:)

5:32 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

:), Tinta Azul!

9:05 da manhã  
Blogger Fatyly said...

e em todas as idades se pode transformar o sonho em realidade...há que navegar...!

Uma beijoca

6:58 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home