terça-feira, outubro 06, 2009

Regresso

Foto TL/2008

De uma beleza que me cegava,
era tão leve quando passava
que até a alma me estremecia.
E o simples facto de ver passar
ser tão etéreo, tão singular,
trazia alento para o meu dia.

Mas, como tudo o que é bom na vida,
essa visão que me era tão querida
foi-se depressa, desapareceu.
E eis que fiquei sentado no cais
esperando o barco que não vem mais,
até um dia, sei lá bem eu.

7 Comments:

Blogger jrd said...

Breve e evanescente mas "possível".
Um abraço

2:09 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro, caro JRD.

3:53 da tarde  
Blogger António Baeta said...

Mas tu regressaste, meu amigo.
Aquele abraço.

10:37 da manhã  
Blogger addiragram said...

O etéreo é também, sempre, o impossível. Sempre preferi a "imperfeição".
Um grande abraço neste regresso.

11:55 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Pois é, amigo Toy... Aquele abraço também.

Outro abraço e bem haja, cara Margarida.

1:50 da tarde  
Blogger mariam said...

Torquato,

cheguei aqui agora... e do pouco que ainda vi, gostei muito! voltarei...

um sorriso :)
mariam

9:19 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Volte sempre, cara Mariam.
Retribuo o sorriso :)

9:36 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home