quinta-feira, março 18, 2010

Fazer de conta

Travessa da Piedade, à Praça das Flores
Vamos fazer de conta que chegámos
à praia longamente desejada
e, vencida a tormenta, nos deitámos
na areia até que fosse madrugada.

Vamos fazer de conta que acordámos
e, libertos das conchas e dos limos,
de pronto e sem temor nos levantámos
para fazer de conta que existimos.

8 Comments:

Blogger Obtuso said...

Poema belíssimo, Torquato!

TG

11:37 da manhã  
Blogger bons temposhein said...

Um belo poema.
(ao qual só falta um mergulho madrugador...)
Um abraço

3:23 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Aquele abraço, caro TG.

O mergulho foi antes, JRD amigo :)
Abraço também.

3:28 da tarde  
Blogger mdsol said...

:)

1:38 da manhã  
Blogger Eduardo Marculino said...

Parabéns peo blog. Esta ótimo.
abraços

6:43 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Olá, Mdsol! :)

Obrigado, Eduardo! Abraços também.

8:53 da manhã  
Blogger addiragram said...

Bonito, mesmo.

9:44 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Um bj, cara Margarida.

9:37 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home