segunda-feira, março 15, 2010

Se me movesse a moda

Escadinhas do Duque

Se me movesse a moda, o que se usa,
era outra decerto esta poesia,
mas o que me fascina é a recusa
do prato do dia.
Não me venham dizer como devia
fazer para andar certo e estar na hora,
pois a única regra que me guia
é cantar sem jactância nem demora
a beleza das coisas e a alegria
de estarmos vivos e haver sol a rodos,
lembrando que este nasce para todos.

11 Comments:

Blogger Obtuso said...

Nem para todos o sol nasce!... Ou muitos poucos o aproveitam e tu sabes cantar como poucos.

Abração
TG

2:49 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Isso é que é estar em cima do acontecimento, caro Tibério...
Abração também.

2:53 da tarde  
Blogger mdsol said...

Gosto. Mais uma vez gosto muito destas suas palavras claras e generosas.

:))

6:28 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado pelas suas sempre confortantes palavras, cara Mdsol.
:))

6:38 da tarde  
Blogger jrd said...

E que bem cantas o sol. Pena é que nem todos possam escutar o teu canto e o dele...

6:39 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Há que manter a esperança, caro JRD.

8:36 da tarde  
Blogger Mar Arável said...

Um dia o sol brilhará

para todos nós

11:29 da tarde  
Blogger RAA said...

é assim mesmo!, a recusa do prato do dia...

1:23 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Abraços, caros Filipe e Ricardo

9:44 da manhã  
Blogger Vieira Calado said...

Poético... poético era se o sol nascesse igual para todos...
(mas isso era outro poema)

Um abraço

1:13 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Sem dúvida, caro Vieira Calado.
Um abraço também.

9:14 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home