quinta-feira, abril 08, 2010

País íntimo

Acrílico sobre tela / TL, 2007
Um lugar de respiro aberto e puro,
varanda para o mar e o futuro,
eis como imaginei o meu país
e por dentro de mim o construí
desde a primeira hora em que senti
que só com ele iria ser feliz.

Nesse íntimo país que eu inventei
não cabe o outro de que me alheei,
feito de decepção e sofrimento,
e por isso sou livre, sonho longe
e procuro ir além do dia de hoje
sem me ocupar do poder do momento.

12 Comments:

Blogger jrd said...

Caminhando e cantando e seguindo o poema. Estou contigo!
Abraço

3:04 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, amigo JRD, e outro abraço.

4:14 da tarde  
Blogger António Baeta said...

Também eu tenho um país íntimo, onde não cabe o outro...

Um abraço, meu caro amigo.

6:08 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Pois é, Toy...

Um forte abraço também.

8:28 da tarde  
Blogger luisa said...

Estou segura que muitos de nós estão a aderir cada vez mais ao seu próprio país poético e imaginário, tal é a crescente descrença nos poderes instalados.

Passar por este Ofício é sempre inspirador.

1:41 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Obrigado, cara Luísa. Também gosto muito de passar pela "esquina da Tecla".
Um bj.

2:35 da tarde  
Blogger Isabel Magalhães said...

Gostei de ter passado por cá.

Deixo um abraço de muitas cores.

IM

8:30 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Ainda bem, Isabel. Volte sempre.

Abraço idem.

9:52 da manhã  
Blogger Mar Arável said...

Força

militante da vida

Abraço

12:17 da manhã  
Blogger Torquato da Luz said...

Outro abraço, amigo Filipe.

9:49 da manhã  
Blogger mdsol said...

:))

4:58 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Espero que as férias tenham corrido bem, cara Mdsol :))

6:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home