segunda-feira, setembro 27, 2010

Amar uma cidade

O pintor japonês M. Nagashima retrata o Príncipe Real pela milésima vez

Ama-se uma cidade, uma rua, uma casa
como se fossem nossas, mas não são
mais do que fogos fátuos da ilusão
a que chamamos vida, um ferro em brasa
que se crava na alma, com os seus medos,
portas cerradas, sombras e segredos.

E bem sabemos que, ao amar uma cidade,
uma rua, uma casa, outro qualquer lugar,
apenas exprimimos a vontade
de neles nos podermos espelhar.

8 Comments:

Blogger Mar Arável said...

Amar só

sem fronteiras

2:28 da tarde  
Blogger jrd said...

Ter Lisboa à distância de um gesto e reflectir-me nela. Assim estou eu.
Abraço

3:58 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

É isso mesmo, caro Filipe!

Somos uns privilegiados, caro João!
Outro abraço.

4:55 da tarde  
Blogger mdsol said...

Lisboa menina e moça
...
Tão linda


:)))

11:31 da tarde  
Blogger addiragram said...

Lisboa, a minha casa, recebe-me nos bons e maus momentos.
Lisboa pintada de memórias.
Lisboa sempre pronta à descoberta...
De Lisboa se parte e a Lisboa se torna.

Um beijinho

11:42 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Pode dizê-lo, Mdsol... :)))

Cidade-casa que a toda a hora oferece surpresas, Margarida... Beijinho também.

9:35 da manhã  
Blogger gabriela r martins said...

cidade - porto de abrigo - mater




.
um beijo

4:19 da tarde  
Blogger Torquato da Luz said...

Beijo retribuído, Gabriela!

6:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home